Foto: Ministro da Economia, Paulo Guedes, faz arminha com as mãos durante evento - Foto: Redes sociais

Em mais uma declaração recheada de ranço e nenhum apreço à diplomacia com países vizinhos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, comparou O Brasil à Argentina e à Venezuela, países presididos por governos de esquerda, para falar sobre o endividamento público e o que ele considera “decisões erradas da política econômica”.

“Para virar a Argentina, seis meses; para virar Venezuela, um ano e meio. Se fizer errado, vai rápido. Agora, quer virar Alemanha, Estados Unidos? [São necessários] dez, quinze anos na outra direção”, afirmou em entrevista ao podcast Primocast, gravada na sexta-feira (26) e divulgada nesta terça-feira (2).

“Você prefere juro baixo, muito investimento, emprego, renda, Bolsa subindo, todo mundo ganhando, estourando champanhe, um país da prosperidade, ou prefere ir para a Venezuela?”, disse Guedes, em outra comparação, distante da realidade do Brasil, principalmente em relação a investimento, emprego e renda.

Demissível em 30 segundos

Em outro momento do podcast, Guedes ainda fez ameaça velada, de que pode deixar o governo, caso as medidas neoliberais propostas por ele não sejam acatadas por Jair Bolsonaro (Sem partido).

“Se ele não confiar, eu sou demissível em 30 segundos. Se eu estiver conseguindo ajudar o Brasil, fazendo as coisas em que eu acredito, eu devo continuar. A ofensa não me tira daqui. O medo, o combate, o vento a chuva, isso não me tira daqui de jeito nenhum. O que me tira daqui é a perda da confiança do presidente ou ir para o caminho errado. Se eu tiver que empurrar o Brasil pelo caminho errado eu prefiro não empurrar, eu prefiro sair. Isso não aconteceu”, disse.