Foto: Reprodução/Twitter

O procurador Demétrius Oliveira de Macedo, preso na última semana por espancar uma colega na prefeitura de Registro, no Vale do Ribeira, virou réu por tentativa de feminicídio. A denúncia partiu do Ministério Público (MP) e foi aceita, nesta terça-feira (28), pela Justiça de São Paulo. A decisão é do juiz Raphael Ernane Neves, da 1ª Vara de Registro. Demetrius tem dez dias para apresentar sua defesa. 

Na acusação, o MP afirma que o réu agrediu a colega de trabalho com o “evidente intento homicida”, ou seja, o homem tinha intenção de matar Gabriela Samadello Monteiro de Barros. Para o Ministério Público, Demetrius só não matou Gabriela por causa de “circunstâncias alheias a vontade do agente”. 

Ao aceitar a acusação montada pelo MP, a Justiça de São Paulo entendeu que o “Ministério Público apresentou descrição suficiente dos fatos criminosos relacionados à ofensa à integridade corporal”. 

Relembre o caso

Um vídeo que mostra uma agressão brutal, a socos e chutes, do procurador municipal contra a colega de trabalho que tem o mesmo cargo que o dele chocou o Brasil. O caso ocorreu no dia 20 de junho, dentro da Procuradoria do Município.

Demétrius, de 34 anos, aparece nas imagens espancando de forma violenta Gabriela de Barros, de 39 anos, que mesmo caída no chão e com o rosto sangrando continuou chutada e sendo alvo de socos. O criminoso a ofende várias vezes de “puta” e “vagabunda”, enquanto uma outra funcionária tenta intervir, mas também é agredida, sendo arremessada contra uma porta.

Os servidores lotados na Procuradoria Municipal de Registro vinham reclamando da forma grosseira e agressiva com que eram tratados por Demétrius. A procuradora Gabriela, então, por razões obviamente burocráticas e administrativas, abriu um processo de averiguação para apurar a conduta do colega, acusado pelos demais funcionários do órgão. Esse teria sido o “motivo” para que o procurador espancasse a companheira de repartição.

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).